Vários cartões de créditos

Como controlar o cartão de crédito baseando-se em saldos

4 minutos

por Renato Martins

escrito em 8 abril 2014

Já que a série atual de artigos aqui do blog tem o objetivo de abordar as melhores práticas de acompanhamento financeiro, nada mais coerente que separar 1 ou dois artigos específicos para o tema “cartão de crédito”. O texto que você lê a seguir é o 8º artigo da série como acompanhar as finanças pessoais de forma rápida e precisa e vai te ensinar como controlar o cartão de crédito para não ter surpresas quando a fatura chegar.

Então, mãos à obra! Vamos começar…

#1. Descubra as informações básicas de seus cartões

Para cada cartão de crédito, descubra e anote:

  • Nome do cartão;
  • Dia de fechamento da fatura (ou data de corte);
  • Dia de vencimento da fatura;
  • Limite de crédito total.

Aproveite esse momento para avaliar a real necessidade de possuir mais de um cartão de crédito. Com um orçamento mensal bem planejado e um bom acompanhamento das finanças, na grande maioria dos casos, um único cartão já será o suficiente.

controlar o cartão de crédito

#2. Calcule o saldo total devedor de cada cartão

Em alguns casos, ao consultar o saldo do seu cartão pela internet ou pelo telefone, é informado apenas o limite de crédito disponível. Se esse for o seu caso, para chegar ao saldo devedor total, faça o seguinte:

Calculando o saldo total devedor do cartão de crédito

#3. Inclua o saldo devedor total no controle de saldos

No post que explica os 6 passos para começar um controle financeiro pessoal, já foi falado que é necessário incluir o saldo devedor de todos os cartões de crédito no controle de saldos para começar a analisar sua situação financeira. O 3º ponto do artigo de hoje, é para lembrar você disso.

Controle de saldos com cartão de crédito vs. sem o cartão de crédito

#4. Entenda porque isso é uma prática sensacional

Controlar o cartão de crédito dessa forma é uma boa prática, ou melhor, uma prática sensacional porque facilita – e muito – a identificar rapidamente sua situação financeira real. Se o valor já gasto do cartão estiver muito alto, fica óbvio e fácil perceber seu grau de endividamento de curto prazo.

Analisando o grau de endividamento de curto prazo

No caso acima, mesmo você tendo mais de 100 reais no Banco do Brasil e mais de R$ 1.400,00 no Itaú, parece que, na verdade, você está é devendo 500 reais.

#5. Acompanhe a oscilação do saldo devedor

Você pode (e deve) acompanhar a oscilação do saldo devedor de todos seus cartões pelo controle de saldos, atualizando saldos na frequência ideal para você e fazendo conciliações de saldos para que o orçamento consiga funcionar bem e sem falhas.

Na prática, o acompanhamento do cartão de crédito não se difere muito do acompanhamento da conta corrente. A diferença é que seu cartão começa com saldo zerado, vai ficando negativo a cada compra e a única entrada de dinheiro existente é a que acontece uma vez por mês, quando paga-se a fatura.

Saldo devedor do cartão de crédito

Por falar em fatura…

#6. Veja que a fatura NÃO é uma surpresa

Como agora você passou a trabalhar com sua situação financeira real acompanhando o saldo devedor do cartão a cada atualização de saldos, quando sua fatura for paga, nada vai mudar muito no seu controle de saldos. Veja:

Controle de saldos: antes e depois do pagamento da fatura do cartão de crédito

Basicamente, o que aconteceu ao pagar a fatura foi algo similar a uma transferência entre contas. Saiu dinheiro da sua conta corrente do banco (banco Itaú) e entrou no seu cartão de crédito (cartão Master) e nada mudou na sua situação financeira total. Não houve oscilação e nem saída de dinheiro.

Conclusão

Para finalizar é bom lembrar que ao comprar alguma coisa com um cartão de crédito você, na verdade, solicitou a operadora do cartão para pagar a compra para você. O que significa que você terá que pagar a operadora em algum momento futuro, certo?

Logo, a cada compra no cartão você está assumindo uma dívida (um compromisso futuro de pagar algo, um passivo) e é por isso que acompanhar o saldo devedor do cartão no controle de saldos como um valor negativo é uma prática tão importante, pois lhe permite analisar sua situação real e seu grau de endividamento semana a semana, fazendo com que a fatura não seja algo inesperado no final do mês.

No próximo post, vou lhe explicar as melhores práticas para compras parceladas no cartão que vai lhe ajudar a entender um pouco melhor o fluxo de compra e de pagamento do cartão de crédito.

Um abraço e aguardo você lá! 😉

Crédito da foto de capa: frankieleon via Visual hunt / CC BY

Autor

Renato Martins

Renato Martins é cofundador do goldmap e um eterno estudante do tema "finanças pessoais". Ele é formado em Sistemas de Informação pela PUC Minas e em Administração pela ETFG. Busca escrever no blog do goldmap principalmente sobre como gerenciar as finanças pessoais de forma saudável e eficiente.

Outros artigos que você pode gostar...

19 comentários

  • Bruno Ferreira

    Muito boa a dica de considerar o saldo total devedor do cartão de crédito.
    Sempre tive o costume de fazer uma planilha e avaliar os gastos do mês corrente e os gastos de mês seguinte como uma previsão de gastos futuros.

    Porém é uma armadilha, pois no cartão de crédito nem sempre a dívida é saldada logo no mês seguinte. Pela comodidade de se dividir em muitas vezes tem se a ilusão de que temos uma pequena dívida para o mês seguinte quando na verdade a dívida é bem maior e pode deixar a pessoa acomodada para fazer outras dividas já que a prestação do mês seguinte é muito pequena.

    • A primeira armadilha (bem sutil) é quando as operadoras já te informam o “limite disponível” ao invés do “saldo devedor”. Rs…

      Mas se você consegue usufruir da comodidade que o cartão oferece sem cair na armadilha, está tudo tranquilo!

  • Henrique Mollo

    Olá Renato. Li todos os artigos do orçamento doméstico matador e estou colocando em prática. Em menos de 1 mês já consigo ver os benefícios de se fazer um planejamento. Porém ainda tenho algumas dúvidas e uma delas é sobre o planejamento com cartão de crédito. Ainda não entendi bem como fazer o orçamento com o cartão de crédito. Estou jogando as despesas do cartão no mês e pagando no outro. Como fazer o orçamento disso?

    • Oi Henrique, tudo bem?

      Valeu pela pergunta e que bom que os artigos estão ajudando.

      Bom, pelo que você me falou, acredito que você já esteja fazendo tudo certo.

      A verdade é que o meio de pagamento (cartão de débito, cartão de crédito, dinheiro em espécie) não interessa para o seu orçamento. Continue jogando as despesas feitas no mês corrente dentro do orçamento do mês corrente, independentemente da data de vencimento da fatura do cartão.

      Seguindo esse método, além de buscar manter o seu orçamento do mês sempre positivo, preocupe-se também em entender e manter a sua **situação financeira consolidada** sempre positiva no controle de saldos (veja mais sobre isso no 3º passo desse post: http://blog.goldmap.com.br/2013/10/controle-financeiro-pessoal-6-passos-para-comecar/ ).

      No mais, é isso mesmo que vai acontecer: Jogar as despesas no mês e pagar a fatura no outro.

      Qualquer dúvida, vamos conversando mais.

      Abs,
      Renato.

      • Henrique Mollo

        Ok! Obrigado!

        Abusando da boa vontade, e o que faço com o dinheiro que sobrou ou faltou no mês? Como passo para o mês seguinte no orçamento? Crio uma categoria em receitas/despesas? E para o pagamento do cartão? É necessário criar uma categoria já que estou jogando todas as despesas no mês anterior?

        • Oi Henrique, pode ficar à vontade para perguntar o quanto for preciso!

          Bom, quanto a transferência de saldos de um mês para o outro, falei um pouco sobre isso nesse post: http://blog.goldmap.com.br/2014/02/qual-e-frequencia-ideal-para-acompanhar-financas-pessoais/

          E quanto ao pagamento da fatura do cartão, NÃO é necessário criar outra categoria. Na verdade, o pagamento da fatura, nem aparecerá no orçamento, pois ele é uma simples transferência entre contas (vide passo #6 do artigo corrente).

          Abs,
          Renato.

  • Pingback: 9 erros graves e comuns no controle financeiro pessoal – Finanças pessoais | Blog do Goldmap()

  • Pingback: Cartão de crédito: Melhores práticas para compras parceladas - Blog do goldmap()

  • Pingback: Compras parceladas feitas após começar a usar o goldmap | Central de Suporte Goldmap()

  • Pingback: Como acompanhar as finanças pessoais de forma rápida e precisa - Blog do goldmap()

  • AndersonApdo

    Olá, parabéns pelo blog, ele é sensacional.
    Tenho uma dúvida, ainda não consegui utilizar o saldo do cartão em meu orçamento. Uso um cartão Visa, do Banco do Brasil e neste momento meu limite total é de R$ 2.907,00 e meu limite disponível R$ 1.304,00 só que o valor da minha fatura, que será paga no dia 10, é de 1.736,40 se eu utilizo a conta limite de crédito disponível (R$ 1.304,00) – limite de crédito total (R$ 2.907,00) = R$ 1.603,00 este resultado não faz sentido pra mim ^^ poderia me ajudar?

    • Oi Anderson, valeu pelo comentário e pelo elogio. Quanto a sua pergunta, é claro que eu posso tentar te ajudar, meu caro 🙂

      Vamos lá…

      Esse valor de -1.603 (negativo) o “saldo total devedor” do seu cartão de crédito. Uma situação comum que pode ocorrer é que a fatura pode vir MENOR que o saldo total devedor. Isso acontece pois há compra parceladas cujas parcelas só vencem na(s) fatura(s) do(s) mês(es) seguinte(s). Mas o seu caso é diferente. Sua fatura veio em um valor MAIOR do que o saldo total devedor. Algo deve estar errado. Algumas coisas a checar:

      1) O “limite total” e o “limite atualmente disponível” que você está usando na conta estão realmente corretos? Onde você os verificou? No próprio internet banking?

      2) Já observou se nessa fatura de 1.736,40 não há por um acaso alguma cobrança de juros que justifique esse valor a maior?
      Obs: Esse valor a maior é de R$ 133,40 (isso é, 1.736,40-1.603,00), essa é a diferença a ser encontrada.

      3) Há alguma chance do seu banco ter aumentado seu limite de crédito e você não ter percebido?

      Se mesmo após verificar as questões acima, vc não encontrar nada que esclareça fique à vontade em mandar outra pergunta. Se preferir, pode mandar uma foto da fatura do cartão para o email do goldmap que ajudo você a verificar os valores (esconda seus dados pessoais, tais como, nome completo, dentre outros antes de enviar a foto).

      Bom, é isso! Fico no aguardo da sua resposta para resolvermos sua dúvida.

      Um abraço!
      Renato.

      • Anderson Souza

        Olá Renato, obrigado pelo retorno!

        1) Sim, o limite total peguei da fatura do cartão, já o limite atualmente disponível foi do menu do Internet banking (bb)

        2) Não consegui encontrar nada de diferente na fatura, exceto alguns valore em dólar referente a compras que eu realmente fiz.

        3) Não sei te dizer.

        Lhe enviei um e-mail com a fatura!

        • Oi Anderson! Recebi seu email. Obrigado!

          Bom, o que parece ter acontecido é que seu cartão tem um limite total de crédito separado para “compras à vista” e para “compras parceladas” (observe na seção de “Limites” na sua futura). É um cenário mais incomum visto que a maioria dos bancos opta por oferecer cartões com limite único tanto para compras à vista quanto para compras parceladas.

          O ideal nesse caso é calcular seu saldo total devedor do seu cartão com base no “limite total para transações parceladas” (5.666,00) e não no “limite total para transações à vista” (2.907,00), o que significa o atual “saldo total devedor” do seu cartão é um pouco maior do que parece devido a essas compras parceladas. Faça as contas e veja se faz sentido, por favor.

          Depois que fizer as contas, um artigo que pode lhe ajudar a entender uma PARTE desse cenário seria esse aqui: http://www.creditooudebito.com.br/limite-do-cartao-e-compras-parceladas-entenda-com-exemplos/ (esse artigo não explica todo o seu cenário, mas pode ajudar a esclarecer alguns pontos).

          Bom, é isso, meu caro!

          Qualquer dúvida, dê uma passada por aqui novamente 😉
          Renato.

          • Anderson Souza

            Boa tarde Renato, eu não estou conseguindo passar meu orçamento para o Gold Maps, gostaria de saber se posso contar com sua consultoria?

          • Claro! Dentro do possível, posso dar uma força sim. Vi que você mandou um email com algumas dúvidas. Vamos continuar a conversa por lá?

          • Anderson Souza

            Vamos! : )

  • Ed Quaglia

    E até bom, mas como é caro hein? Qual a justificativa para um valor tão alto assim? Tendo em vista que não tem diferencial de vários outros.

    • Oi Ed, parece que você comentou duas vezes acidentalmente. Já respondi sua pergunta no comentário anterior 🙂

  • Ed Quaglia

    E até bom, mas como é caro esse Goldmap hein? Qual a justificativa para um valor tão alto assim? Tendo em vista que não tem diferencial de vários outros sites desse segmento?

    • Oi Ed! Rsrs… Obrigado pelo sincero e importante comentário! :))

      É que o goldmap não é uma ferramenta de controle financeiro como os vários sites desse segmento. O goldmap é uma ferramenta de **planejamento** financeiro, que busca lhe oferecer VISÃO DE FUTURO. Enquanto as outras ferramentas se concentram em responder para onde o seu dinheiro foi, o goldmap te ajuda a responder e definir para onde o seu dinheiro vai… Isso pode ser a diferença fundamental da história toda.

      Agora… sobre ele “ser caro”, quanto exatamente é esse “como é caro esse goldmap” para você? Quanto você estaria disposto(a) a pagar? 🙂

      • Ed Quaglia

        Entendi meu caro, no caso eu até tinha me cadastrado no Goldmap para testar, mas me perdoe e não vi diferença igual você citou até porque o outro também é planejamento, ele é bem famoso que faz exatamente a mesma coisa ou até um pouco além, mas não desmerecendo o seu trabalho é claro, quanto ao preço agora não importa, pois esse é totalmente gratuito, então é desleal falar em preço hehehe. Abçs

        • Claro! Sem problemas, Ed! Entendo e respeito seu ponto de vista. Se quiser seguir acompanhando o blog ou fazendo novos testes no futuro, fique à vontade! 🙂

          Um abraço!
          Renato.