Independência financeira: última saída.

Por que você deve se importar com as 3 fases do investimento?

4 minutos

por Renato Martins

escrito em 3 abril 2012

O 3º artigo da série Como fazer um orçamento doméstico matador fala sobre como encher o bloquinho 2 do seu orçamento, ou seja, como fazer o dinheiro ser seu funcionário e não o contrário.

Orçamento doméstico focado em investimentos

Uma das falhas mais graves que você pode cometer na sua vida financeira é acreditar que seu salário + meia dúzia de benefícios formam sua única fonte de renda. Acreditar nisso afeta sinistramente seu horizonte de escolhas profissionais, sua aposentadoria e ainda impacta negativamente toda sua lista de desejos atual.

Para resolver essa falha grave você precisa de um modelo de orçamento doméstico diferenciado! Você precisa de um orçamento doméstico matador de falhas! 😉

Então vamos logo à solução!

Depois do artigo anterior (e também porque não é novidade nenhuma), você já sabe como fazer dinheiro para bloquinho 1:

Eu trabalhando para fazer dinheiro

A fórmula acima é simples e é passada de pai para filho há séculos: você aprende uma profissão e algumas habilidades, daí vende sua hora de trabalho e recebe dinheiro no final do mês.

Mas agora vamos ao bloquinho 2:

Dinheiro trabalhando para fazer dinheiro

A fórmula acima é muito parecida: você estuda e aprende habilidades em alguns investimentos em áreas que você gosta, daí você investe seu dinheiro e então recebe retorno financeiro no final de um período.

Orçamento doméstico focado em retorno de investimentos

Só que esse período costuma não ser medido em 1 mês de trabalho, e sim, em alguns anos de dedicação e foco. Então, para encher o segundo bloquinho do seu orçamento é necessário conhecer e colocar em prática – e o quanto antes – as 3 fases para montar uma carteira de investimentos que lhe gere renda

Independência financeira: última saída.

Fase inicial: Acumulação

Tudo começa nessa fase onde você monta sua carteira de investimento comprando, por exemplo, ações ou títulos do governo em quantidades e intervalos programados. Além disso, também reinveste qualquer lucro, dividendo ou juros recebidos. E começa a formação de um patrimônio, do seu patrimônio!

Fase 1 do investimento: Acumulação

Observe que durante toda essa fase o bloco 2 vai ficar vazio. É de propósito isso! Toda vez que você abrir seu orçamento, ano após ano, vai ver que está faltando alguma coisa alí e vai fazer você lembrar do objetivo principal do seus investimentos saindo do bloquinho 8: encher o bloquinho 2 e nada mais!

Fase intermediária: Estabilidade

Nessa fase você não precisa mais colocar dinheiro do seu bolso para a carteira de investimentos continuar crescendo a uma velocidade boa. E o seu patrimônio está quase do tamanho ideal!

Fase 2 do investimento: Estabilidade

O bloquinho 2 do seu orçamento continua vazio e você continua reaplicando integralmente os lucros, dividendos e juros recebidos.

Fase final: Colhendo os frutos

Pronto, você chegou ao objetivo final onde seu patrimônio consegue sustentar seu nível de consumo!!! Sua carteira de investimentos agora é uma carteira de renda e está grande o suficiente para que os rendimentos mensais dela possam sustentar as despesas mensais suas e de sua família.

Fase 3 do investimento: Colhendo os frutos

Esse é o objetivo final de qualquer investimento bem sucedido: gerar renda em algum momento futuro. Se um investimento que você fez não gerou renda e nem se propõe a gerar, fique alerta, porque provavelmente você comprou um passivo pensando que era um ativo (mais sobre isso nesse artigo).

Tenha em mente sempre que a renda que vem do dinheiro trabalhando para você no bloquinho 2 do orçamento doméstico tem uma importância fundamental na sustentabilidade da sua qualidade de vida hoje e no longo prazo e é a chave para construir um orçamento pessoal orientado para o progresso financeiro.

É isso. Deixe suas dúvidas nos comentários.

Ah é! Nem só de coisas planejadas vive um ser humano, não é mesmo? Seguindo a série, o próximo artigo fala sobre aquela, sempre bem-vinda, renda inesperada com o tema: “O que é uma renda atípica e as 3 melhores formas de usá-la”.

Renda atípica

Esse próximo será o último artigo da série que fala sobre a renda pessoal. Depois desse começamos a falar da coluna dos gastos. Vamos matar todas as falhas que estiverem por lá! 🙂

Autor

Renato Martins

Renato Martins é cofundador do goldmap e um eterno estudante do tema "finanças pessoais". Ele é formado em Sistemas de Informação pela PUC Minas e em Administração pela ETFG. Busca escrever no blog do goldmap principalmente sobre como gerenciar as finanças pessoais de forma saudável e eficiente.

Outros artigos que você pode gostar...

9 comentários

  • Pingback: Como fazer um orçamento doméstico matador | Finanças pessoais | Blog do Goldmap()

  • Denis

    Muito boa explicação. Estou tentando colocar esses conceitos em uma ferramenta só, no meu caso uma planilha Excel.

  • Finanças Inteligentes

    Encontrei seu blog hoje, achei muito bacana, seu post ficou bem ilustrativo e de fácil entendimento.

    Parabéns

  • Pingback: O que é uma renda atípica e as 3 melhores formas de usá-la()

  • Pois bem, uma dúvida.
    Adquiri no final do ano passado dois bens, um ativo e um passivo.
    O passivo é um carro, que, dentre outras despesas, podemos citar a despesa com garagem (para não deixar o carro na rua). Como aonde moro não possuo uma garagem extra, precisaria alugar uma, o que custa, em média R$130,00 mensais.

    Então comprei o ativo, uma garagem. Como lançar isso no meu controle financeiro, se baseando nessa técnica dessa série de posts?
    Uma ideia que tive, foi lançar R$130,00 como “gastos comprometidos” (garagem do carro), e lançar R$130,00 em “dinheiro trabalhando para mim”. O que acha?

    Obrigado, um abraço e
    Parabéns pelo blog! =D

    • Boa, Rodrigão!! Comprou um ativo para ajudar a sustentar um de seus passivos. Foi uma ótima ideia.

      A forma que você achou para ajeitar isso no seu controle financeiro (“gastos comprometidos” de um lado “dinheiro trabalhando para mim” do outro) está certíssima. É sempre bom lembrar que a garagem que você comprou é um **patrimônio seu** que está gerando renda para seu orçamento doméstico mensal. A essência é essa.

      Você tem o hábito de ler livros ou frequentar workshops sobre finanças pessoais?? Vc captou a ideia de uma forma bem inteligente.

      Obrigado por mais uma participação, Rodrigo.

      Um abraço!
      Renato Martins.

      • Olá Renato.

        Eu escrevi um comentário em outro post, mas ele ficou marcado “para revisão” e depois desapareceu =(

        Enfim, resumindo o que eu havia escrito no outro, eu faço controle financeiro a um bom tempo, desde 2004 para ser mais preciso. O problema é que até então organizava meus dados “por semelhança”, e não conseguia extrair muita informação útil deles.
        Recentemente participei pela segunda vez de um evento chamado Expo Money, que me motivou a tentar encontrar uma forma mais interessante de organização das “categorias” dos gastos e receitas, e foi quando encontrei Goldmap.

        Pensei nessa forma de organização, porque, apesar do dinheiro do “aluguel que eu pago para mim mesmo” não entrar no caixa (nem sair… rs), se em alguma situação hipotética eu vender meu carro, começarei a receber essa renda (após alugar a garagem).

        Obrigado por sua resposta, até a próxima.

        • Olá Rodrigo,

          Achei seu comentário lá no outro post. Ele realmente não foi aprovado automaticamente. Mas agora está lá! (:

          Link: http://blog.goldmap.com.br/2012/04/e-uma-renda-atipica-3-melhores-formas-de-usa-la/#comment-599203724

          Esse dinheiro não entra e nem sai de forma real do seu caixa, mas eles **contam uma história**. E é aí que está toda a diferença… Por isso, incluí-los no orçamento é tão importante.

          Mais uma vez, obrigado pela participação!

          Estou à disposição. Um abraço.
          Renato Martins.

  • Pingback: Quais os benefícios de organizar sua renda pessoal em 3 tipos diferentes? | Finanças pessoais | Blog do Goldmap()

  • Olá Renato,

    Tenho interesse em te propor parcerias com alguns
    dos nossos clientes. Agradeço me envie um email a: mail.maxigm@gmail.com

    Att.
    Max.

    PD: Parabens pelo Goldmap!

  • Pingback: O que é acumulação de capital e as 3 estratégias mais usadas()

  • Pingback: Teste para ver se seu orçamento doméstico está bom()

  • Pingback: Como acompanhar as finanças pessoais de forma simples e matadora()

  • Pingback: Renda de investimentos | Central de Suporte Goldmap()